Quem sou eu

Minha foto
A REDE SOCIOASSISTENCIAL DO DISTRITO DE PERUS é composta por um agrupamento de diferentes instâncias com objetivos comuns de: estimular a comunidade de Perus a tornar-se um sujeito de ações cidadãs minimizando o grau de vulnerabilidade local. Somos articuladores, mediadores e multiplicadores, na medida em que detectamos, analisamos e encaminhamos as ações propostas para os recursos disponíveis articulados por representações da rede privada e pública nas áreas: social, saúde, educação, meio ambiente, cultura, esporte e lazer, subprefeitura entre outras.

25 de ago de 2014

ATA DA REUNIÃO DE REDE PERUS – 30/07/14



ATA DA REUNIÃO DE REDE – 30/07/14

Ata da reunião realizada no Centro de Cidadania da Mulher de Perus em 30/07/2014, às 9:00h. A reunião iniciou-se com a apresentação dos presentes e dentre eles alguns estavam ali pela primeira vez. Não houve observações quanto à Ata da reunião anterior, que foi enviada previamente aos membros da RESAPE. Márcia se apresentou e colocou quais os objetivos das reuniões de rede, o quanto é importante compartilhar problemáticas que ocorrem na nossa região e procurar coletivamente o alcance de melhorias nos nossos serviços. Durante a reunião, foi passada  uma copia do Miniguia da região, para ser atualizada pelos presentes, com o intuito de divulgarmos que os serviços  que a região Perus  e Anhanguera  tem para atender á população.
Após as apresentações e seguindo a pauta sugerida, iniciou-se o relato da Comissão de Moradores de Rua e usuários de drogas pela IVA. Segundo ela, não foi viável a realização da capacitação conforme tinha sido combinada pelo grupo na reunião de maio. Como é do conhecimento de todos, os usuários em questão se mudaram  e estão alojados num estacionamento de ônibus, perto da Praça Inácia Dias (estação), ou pelo menos, o Douglas e a Luciana. Washington do SEAS informa que se ficarem em local privado, o serviço não tem como fazer o acompanhamento, mas que continuam de qualquer forma, continuam em situação de rua.  Jandira do Núcleo de Direitos Humanos da Subprefeitura disse que combinou um encontro com Douglas, mas ele não compareceu. Segundo Washington, Douglas e Renan relataram que estavam morando não mais na rua e sim na casa de familiares, mas segundo outras fontes eles ainda estão morando no estacionamento e sempre estão migrando.
Marcia do CCM coloca que, apesar da mudança deles, o problema permanece  e o espaço ao lado do CCM continua sendo “cena de uso de drogas” e que, infelizmente, não ocorreu a grafitagem no dia do Caramanchão cultural, como estava planejado, que revitalizaria o espaço da rampa. De qualquer forma, hoje conhecemos mais como funciona o serviço de atendimento a moradores de rua pelo debate em torno desse grupo.
Segundo Adeli, do CREAS PERUS, as famílias ou usuários que moram neste estacionamento, são famílias conhecidas da região, conhecem os programas e serviços da Rede que podem atende-los, porém tem receios ou não aceitam o que lhes é oferecido; recusaram ter  de atendimento na UBS e os encaminhamentos  para terem suas documentações.  Segundo ela,  o CREAS não tem condição de fazer uma capacitação no momento sobre a questão que envolve também a drogadição.  Avisa, também, que pediu exonoração do cargo de Coordenadora do CREAS e que ficará no lugar da Érika como Técnica (Assistente Social), que irá para a SAS LAPA. Está aguardando sua substituição a qualquer momento.
Marcia transmite o retorno da Supervisora de SAS, Rosa, sobre o trabalho do SEAS. Adeli reforça que o fluxo de atendimento começa pelo contato com o telefone 156, que aciona o CAPE, que aciona o SEAS, que é quem faz a abordagem de rua.  Marcia pergunta se a Comissão pretende continuar o trabalho, no que há a concordância dos membros presentes: IVA, Washington (SEAS), Rosimeire (Assistente Social NCI), Jandira (DH) e Wilma (Projeto Bem-Me-Quer). IVA coloca que considera válida a colaboração das Igrejas, com doações e palavras de conforto.  Iva disse, também, que irá continuar pois acredita no resgate do ser humano, e no contato com eles , ela percebe melhorias e reações positivas  Jandira reforça que tem experiência com moradores de rua e que é uma questão de responsabilidade do poder público, que não pode ficar no assistencialismo. Adeli coloca que, no entanto, o CREAS pode participar com uma roda de conversa, para troca de experiências.
Patrícia, do Projeto Orquestra Cidadã, divulga o curso oferecido pela UNIFESP, chamado SUPERA. Trata-se um curso à distância, acessível a todos que queiram saber mais sobre o problema da drogadição.
Passamos, em seguida, aos informes da Comissão de Drogadição. IVA relata que já está em andamento a organização do Seminário sobre o tema, que será no dia 26/09, das 9h00 às 12h00, no CEU PARQUE ANHANGUERA, que vai oferecer o café da manhã.  IVA lembra a todos para responderem o questionário on line sobre o tema, que subsidiará a apresentação dos convidados. O questionário é bem rápido de preencher.  Marcia coloca que o objetivo do Seminário é dar subsídios e informação  sobre o fluxo de atendimento para os profissionais e leigos que tem relação direta com o tema, para que possamos nos capacitar, e termos mais força para seu enfrentamento.
Patrícia, do Grupo NAR-ANON, coloca o novo endereço e horário de funcionamento do grupo: No CEU PERUS, Rua Bernardo José de Lorena, 79 – das 19h30 às 21h30. Por enquanto é só horário e  conforme a necessidade e a disponbilidade de novos voluntários, o trabalho poderá ser ampliado. IVA reforça o trabalho do RECOMEÇO FAMília que ela desenvolve no CIC OESTE e informa que vai ser aberto um Grupo de Amor Exigente. Todas reiteram que é muito importante o trabalho com a família, além do drogadito. Marcia também inclui a preocupação com os casos de usuários que saem da internação, sobre o que pode ser feito. Adeli reconhece que a Rede está despreparada para trabalhar o pós-internação.  Ambas lembraram que foi um movimento e conquista da RESAPE a solicitação de um CAPS III AD para Perus, que a gestão tem o compromisso de implantar até 2016.
Marcia Maria, Professora Mediadora da Escola Gavião Peixoto, relata que a drogadição é um problema biopsicossocial  e que sinaliza que a sociedade está doente.  Segundo ela, os alunos já fazem uso de drogas antes de entrar em sala de aula.  No próximo dia 23/08, a Escola vai promover o “Dia da Família na Escola”, e que vai abordar o assunto, acolhê-las. IVA vai participar.   Compreendeu, após compartilhar caso em sua própria família,  que os pais tem dificuldade em reconhecer o problema e por isso a idéia principal do evento é acolher a família. Marcia Maria também afimou que é difícil para elas saírem  da escola  para participar das reuniões ou outras atividades mas tem todo o interesse na capacitação e pretende envolver os professores que não se consideram “prontos” para falar do assunto e acabam preferindo o “aluno fora da escola”. Junto com Valdirene, Diretora da Escola,  estão se empenhando em melhorar a abordagem da questão cada vez mais, têm certeza de que todos tem co-responsabilidade sobre a mesma.
Vera Lúcia, Coordenadora Pedagógica da EMEF CEU PERUS, coloca que a escola é considerada , muitas vezes, “tábua de salvação”;  reconhece, também, que a comunidade escolar desconhece os recursos da região e que precisam de capacitação e parceria. 
Cristiane do SASF coloca  a Rede tem realizado uma boa caminhada até aqui e que por isso ela precisa ser fortalecida com mais participação.  Adeli do CREAS coloca que, dada a incompletude dos serviços, o trabalho em Rede torna-se fundamental.
Por fim, houve a composição da nova comissão executiva  pelos próximos  3 meses – Agosto, Setembro e Outubro, que contará com a Cristiane (SASF) e Maria Elisabete (Biblioteca Jose de Anchieta)
 A próxima reunião ficou marcada para dia 27/08, a´s 9hs na Biblioteca José de Anchieta, Rua Antônio Maia, 651- ao lado da Escola Suzana de Campos.
Esta ata foi elaborada por Marcia R. Victoriano (CCM Perus) e Fabiana de Andrade Pereira (CCA Filhos da Terra)
INFORMES:
Link para o questionário sobre drogadição :
http://tinyurl.com/pesqdrogas
IVA –CIC OESTE, Programa Recomeço Família,  Processo Seletivo da System Interact – Osasco, para ensino médio;  Vai preparar o Abaixo assinado sobre o trajeto do ônibus para a Vila Caiuba
Rosimeire – NCI – Agendamento gratuito de exames de densitometria óssea para idosas, acima de 65 anos, necessita de 25 idosas (mulheres)
Observações:
Os serviços que atualizaram seus dados no MiniGuia foram:
CCA Filhos da Terra; Atenção Urbana – para SEAS Macro Norte; CCM PERUS; NAR-ANON
Enviaram por email: SAICA DOCE LAR V

Nenhum comentário:

Postar um comentário