Quem sou eu

Minha foto
A REDE SOCIOASSISTENCIAL DO DISTRITO DE PERUS é composta por um agrupamento de diferentes instâncias com objetivos comuns de: estimular a comunidade de Perus a tornar-se um sujeito de ações cidadãs minimizando o grau de vulnerabilidade local. Somos articuladores, mediadores e multiplicadores, na medida em que detectamos, analisamos e encaminhamos as ações propostas para os recursos disponíveis articulados por representações da rede privada e pública nas áreas: social, saúde, educação, meio ambiente, cultura, esporte e lazer, subprefeitura entre outras.

1 de out de 2012

Ata da Reunião de Julho de 2012

MEMÓRIA
REUNIÃO DA REDE SOCIOASSISTENCIAL DE PERUS -
RESAPE


Realizada em 25/07/12, das 9h às 12h, no CRAS Perus – Rua Padre Manoel Campelo, nº 40 Perus.

Participantes: Alessandra Barbosa (CCA Perus)
Alexandre Gottardo (MSE/MA Perus)
Ana Carolina (SEHAB-HABI Norte)
Bernadete (GURI Sta. Marcelina)
Cristiane A.A. (SASF Perus)
Dagmar Carmargo (CRAS Perus)
Daiana Freitas (SASF Perus)
Daniela G. (NASF Morro Doce)
Elis Regina (HABI Norte)
Gisa T. (Lírios do Vale)
Ivan Silva (MSE/MA Perus)
Kelly C. (CCA Recanto II)
Maria Cristina (CEI-CEU Perus)
Maria Lúcia (CEU Perus)
Maria Madalena (Casa Viva)
Marusa Fernandes (GURI Sta. Marcelina)
Otávio Silva (NPJ Perus)
Rosilda S. (Pastoral do Menor)
Rosilene Aparecida (CCA Vila Fanton)
Rosilene R. (CCM Perus)
Sergio Tadeu (GCM)
Shirley Alves (SASF Perus)
Silvio Bortoto (GCM)

Memória:

APRESENTAÇÃO E INFORMES

A reunião da RESAPE teve início com uma apresentação pessoal entre os participantes sendo, neste primeiro momento, oportunamente destacados alguns pontos, a título de informes. Entre estes, foi mencionado importância na realização dos encontros, articulação, envolvimento e fortalecimento da RESAPE no território.
A participante Madalena mencionou que o Ambulatório de Especialidades de Saúde Mental Perus Casa Viva encontra dificuldades no atendimento emergencial de pacientes em crise, dada existência de única profissional psiquiatra na equipe. Acrescentou que o Serviço realiza grupos de terapia comunitária com os pacientes (terças-feiras, às 10h30), bem como que em breve o Serviço será transferido de local e possivelmente terá ampliado seu quadro de profissionais, composto por uma equipe multidisciplinar.  
A participante Maruza, do Projeto Guri, informou sobre o trabalho com música que vem sendo realizado por meio de programa com a Secretaria Municipal de Cultura, na qual se encontram disponíveis vagas tanto para o período matutino quanto vespertino.
A participante Roselene, do CCA da Vila Fanton, ressaltou não ter recebido e-mail de convocação da reunião. Neste sentido serão tomadas as providências de credenciamento do correio eletrônico para envio das informações da RESAPE.
Novamente foi destacada a importância dos Serviços encaminharem por correio eletrônico os dados atualizados para confecção do Mini-Guia. Foi mencionado pelo Ivan, do MSE Perus, tratar de um instrumento cujo modelo é simples, com vistas facilitar a consulta do usuário dos serviços da rede Socioassistencial, Educação, Saúde, Cultura e Esporte ofertados na região. 
A esse respeito, os representantes Sérgio e Silvio da Guarda Civil Metropolitana (GCM), fizeram destaque sobre as informações solicitadas pela RESAPE, serem remetidas para a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU) ou pelo telefone 152.
As apresentações pessoais seguiram com explanações de cada representante na RESAPE.


AVALIAÇÃO DA PARCERIA COM A UNIP

Com relação à parceria estabelecida junto à Universidade Paulista (UNIP), foi pontuada a necessidade de avaliação com a Sra. Renata, supervisora da Clínica de Psicologia. Ela retornará no mês de agosto com suas atividades, todavia, não sabemos como encaminhar a demanda de novos casos para acompanhamento psicológico. Acerca disto, Ivan esclareceu diferença entre plantão, escuta e clinica psicológica. Mencionou ser necessário estabelecimento de um Termo (contrato) de Estágio e destacou possibilidade de parceria, também para entendimento de demanda psicológica, com a Clínica Escola da Universidade Presbiteriana Mackenzie.
           

DEVOLUTIVA: ENCONTRO PROPOSTO PELA SUBPREFEITURA

Conforme estabelecido em última reunião da RESAPE, Kelly do CCA Recanto II e Ivan participaram do encontro proposto pela Subprefeitura Perus intitulado: “1º Encontro das Organizações Não Governamentais das Regiões Perus/Anhanguera”. Disseram que algumas Entidades dos distritos de Perus e Anhanguera foram homenageadas. A impressão que tiveram foi do evento ter sido um encontro político, pensado e direcionado esteticamente para convidados de um alto escalão. Pontuaram ainda que limitaram o tempo concedido para a explanação do Defensor Público que atua junto ao Centro de Convivência da Mulher e nem sequer deram espaço para apresentação da RESAPE.
Alexandre, do MSE Perus, pontuou sobre o início das atividades do recém criado Núcleo de Direitos Humanos da Subprefeitura Perus e sobre a importância desse órgão divulgar seus serviços a toda comunidade.

RETORNO DOS GRUPOS TEMÁTICOS

  • GT EDUCAÇÃO:

Sobre o projeto de capacitação realizado no final de maio e início de junho no CEU Perus, elaborado pelo Grupo de Formação para Diretores, a integrante Maria Lucia prontificou-se a buscar com representantes maiores informações a fim de obter vaga para segunda turma prevista para iniciar no mês de agosto.
Foi-se observado sobre o espaço institucional da escola, por burocratizar a participação de representantes em ações externas, visto a dificuldade de adesão aos convites realizados pela RESAPE. Também se notou que o Conselho Tutelar deveria assumir papel mais propositivo, contudo, tem sido sufocado por atender uma enorme demanda.
a fim de alcançarmos um número representativo de representantes da Educação, designou-se a estabelecermos contato com as Escolas Estaduais do território, sendo que das Escolas do Município a integrante Lucia mantém maior contato.
A Maria Cristina, do CEI/CEU Perus, partilhou situação sobre algumas genitoras que trabalham fora do lar terem encontrado dificuldades em adequar horário de saída do trabalho compatível com o horário em que buscam suas crianças nos estabelecimentos de Educação Infantil. Em grande parte dos casos, tem ocorrido que os filhos adolescentes permanecerem responsáveis pelos cuidados com os irmãos mais novos. A Kelly informou sobre perfil das mães com crianças participantes em seu Serviço, uma grande maioria ser solteiras, outra característica bastante presente, cujos filhos são órfãs de pais, por terem sido assassinados em homicídios cometidos pelo tráfico de drogas ou por não terem reconhecida a paternidade.
Sobre a dificuldade das mães buscarem seus filhos no CEI, refletimos a necessidade delas negociarem com nos seus respectivos serviços para saírem determinado horário antes do término da jornada de trabalho. Outro caminho sugerido nestes casos seria que as genitoras fossem munidas com carta escrita a próprio punho, embasadas com orientações pelo Conselho Tutelar.
Ivan acrescentou à discussão, aspecto relacionado à perda de vínculos afetivos e familiares, comprometendo a formação e desenvolvimento das crianças e adolescentes, facilitando o aliciamento pelo tráfico de drogas e sujeição a outras adversidades.
Observou-se na reunião o quadro de monitores que atuam nos veículos de Transporte Escolar Gratuito (TEG), ser grande parte composto por adolescentes.
Foi pontuado sobre a transferência das “Creches” para a Secretaria de Educação, estar proporcionando uma alteração inclusive na forma de tratamento com as crianças, que estão sendo chamadas de alunos.


  • GT VIOLÊNCIA CONTRA MULHER:

Observou-se que novas parcerias foram encaminhadas. O grupo planeja realização de um seminário sobre o tema “Violência Contra Mulher”. Para tanto, realizarão reuniões eventuais e formularão um planejamento no decorrer da primeira semana de agosto.
A Rosilene, do CCM Perus, informou que durante o período de férias o Serviço realizou – em caráter de urgência - o abrigamento de 05 (cinco) famílias com internação compulsória para adolescentes. Acrescenta que houve aumento exagerado de casos de droga dicção entre adolescentes no âmbito das famílias. Expôs o caso em que um usuário com ataque de AVC teve atendimento negligenciado e omissão de socorro por parte do SAMU.  

  • GT HABITAÇÃO/POPULAÇÃO DE RUA:
Carol e Elis realizaram explanação sobre o tema “Como funciona a(s) Política(s) de Habitação no Município”. Esclareceram dentro da Secretaria Municipal de Habitação possuir duas divisões: a HABINORTE Perus, que tem abrangência até a Vila Maria e o PLANO HABITAÇÃO, aprovado há três meses, qual propõe atuar de forma unificada nos bairros Bamburral, Complexo do Bamburral e Córrego da Mina. Disseram por enquanto não constar nenhum projeto de arquitetura habitacional para região de Perus.
Sobre atendimento às famílias com casas localizadas em áreas de risco, informaram que este deve ser realizado por Companhia da Subprefeitura. A Secretaria Municipal de Habitação tem por finalidade realizar obras públicas e análises.
De ações realizadas no Bamburral, informaram que a verba é oriunda do crédito de Carbono, tendo 291 (duzentas e noventa e uma) famílias com compromisso assinado do auxílio aluguel e quantidade de 234 (duzentas e trinta e quatro) unidades habitacionais.
A fim de obtermos maiores informações sobre o Plano Municipal de Habitação, informou-nos sobre o site www.abisp.inf.br.
Por fim, a Secretaria Habitacional trabalha com demanda. Tem priorizado ações nas regiões da Rua da Mina e Jardim da Paz, tratando o Parque Linear bairro ligado a outra Subprefeitura. Sobre atendimento a munícipes, informaram realização do Plantão Social junto à Av. São João, 299 e, entre segundas, quartas e quintas ser realizado no Bamburral.
Central da Habitação, contato: 39192510


ENCAMINHAMENTOS

Kelly, no próximo encontro compartilhará arquivo do documentário: “Notícias de Uma Guerra Particular”. Também, enviará por e-mail texto que trata este assunto;
Elis Regina da HAB Norte informou que o Instituto Fraternal de Laborterapia (IFL), f: 31046707, localizado na Rua Santo Amaro, 244, Bela Vista, oferece cursos gratuitos, contudo a inscrição é somente presencial.
Rosilene, do CCM Perus, comunicará a realização dos seminários.
Maria Lucia informa proximidade do aniversário do CEU Perus.

PRÓXIMO ENCONTRO RESAPE

Dia 29/08/2012, às 9h, no Ambulatório de Especialidades de Saúde Mental Perus Casa Viva, Rua Antônio Maia, 827. Perus. Dentre os pontos da próxima pauta, será realizada apresentação dos serviços integrantes do GT Saúde, com base na história “Agora Não Bernardo”; a prévia do Mini-Guia e a provável participação da Comunidade Cultural Quilombaque, expondo as suas mais recentes atividades.

GT Habitação: Dagmar, Adeli, Carolina e Elis.
GT Educação: Andrea, Bernadete, Ivan.
GT Mulher e Violência: Manú, Rose, Marusa e Kelly.
GT Saúde: Daniela, Madalena, Cristina, Alessandra.

Relatoria por:
Comissão Executiva RESAPE (julho/agosto/setembro/12)
Alexandre Santos Gottardo (MSE/MA Perus)
Otávio Silva (NPJ Perus)

Nenhum comentário:

Postar um comentário