Quem sou eu

Minha foto
A REDE SOCIOASSISTENCIAL DO DISTRITO DE PERUS é composta por um agrupamento de diferentes instâncias com objetivos comuns de: estimular a comunidade de Perus a tornar-se um sujeito de ações cidadãs minimizando o grau de vulnerabilidade local. Somos articuladores, mediadores e multiplicadores, na medida em que detectamos, analisamos e encaminhamos as ações propostas para os recursos disponíveis articulados por representações da rede privada e pública nas áreas: social, saúde, educação, meio ambiente, cultura, esporte e lazer, subprefeitura entre outras.

11 de mar de 2014

CREAS e NPJ Perus promovem ação para combater à exploração sexual



Com o objetivo de orientar a comunidade local acerca dos prejuízos jurídicos, sociais e psicológicos decorrentes da violência sexual cometida contra crianças e adolescentes, bem como apresentar à população da região os canais de denúncia e serviços de cuidado e atenção, o Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS) Perus e a equipe técnica do Núcleo de Proteção Jurídico Social e Apoio Psicológico (NPJ), organizaram no último dia 28 de fevereiro a “Ação Socioeducativa de Mobilização e Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes”. 
 
O evento ocorreu em uma tenda na Rua Argélia, 01 – Recanto dos Humildes, onde os profissionais organizados abordaram as pessoas da comunidade, entregando materiais sobre a temática e orientando sobre os canais de denúncia e espaços de cuidado e atenção. Cerca de 600 pessoas compareceram a atividade.


Segundo a coordenadora do CREAS Perus, Adeli Silva de França, no local foram distribuídos materiais educativos e exibidos vídeos informativos sobre o assunto abordado. “A importância está no fato de informar a população sobre assuntos importantes que elas desconhecem”, disse.


É importante lembrar que qualquer forma de violência sexual cometida contra crianças e adolescentes é crime e, portanto não deve ser tratada como algo natural. Denuncie: procure o Conselho Tutelar, CREAS ou Disque 100.

Fonte: Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.






















Mobilização de Carnaval em Perus
 Enfrentamento à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes
2014

SERVIÇOS DE COMBATE À VIOLÊNCIA SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

CREAS/NPJ – PERUS
AV. PIERO TRICCA, 27 – 1º ANDAR / JD. SANTA FÉ
 TELEFONES: 3911-5211 / 3911-7517
Segunda a sexta-feira
Das 8h às 18h

Conselho Tutelar de Perus e Anhanguera
RUA PADRE MANUEL CAMPELLO, 156
TELEFONES: 3917-0823 / 3915-3000
Segunda a sexta-feira
Das 9h às 18h

CAPS Infantil II Perus
RUA ANTONIO DE PÁDUA DIAS, 602 TELEFONE: 3919-3896
Segunda a sexta-feira
Das 7h às 18h

DISQUE DENÚNCIA
TELEFONE: 100


















Formas que o abuso sexual pode acontecer:

·                     Tocar nos órgãos sexuais de crianças ou adolescentes, de um modo que até pode parecer brincadeira, mas não é;
·                     Mexer em seus órgãos sexuais de um jeito diferente do cuidado comum que as crianças precisam ter na higiene;
·                     Falar diretamente, por telefone ou internet besteiras, indecências ou coisas que não são faladas normalmente a crianças e adolescentes, palavrões pesados ou mesmo elogios exagerados;
·                     Fazer convites estranhos ou dos quais você desconfia porque são muito diferentes, por exemplo: prometendo presentes e deixando-os envergonhados;
·                     Mostrar fotos ou vídeos de pessoas sem roupas, fazendo que crianças não podem fazer: por exemplo, ter relação sexuais com adultos ou adolescentes assim como qualquer outro contato sexual;
·                     Pedir para tirar fotos ou filmá-los em poses sensuais, mesmo que diga que é para modelo de revista, por exemplo;
·                     Mostrar-lhes o corpo nu, pedindo para ser tocado, acariciando ou para que façam isso ou aquilo nos órgãos sexuais assim como em partes do corpo de outras pessoas;
·                     Ficar olhando ou tentando olhá-los sem roupa de modo insistente;
·                     Tentando entrar no banheiro ou no quarto quando a criança ou adolescente não quer;
·                     Pedir ou obrigá-los a participar de atos sexuais em troca de algo ou sob ameaça ou violência; aliás esse tipo de situação ocorre na maior parte das vezes oferecendo-se prêmios e promessas a crianças e adolescentes, aproveitando-se da ingenuidade ou curiosidade deles, ou mesmo de sua condição de pobreza.

Fonte: Folheto Explicativo Amar e Proteger 2


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário